Pular para o conteúdo

ansiedade
Transtorno de ansiedade Art: Ana Paula da Trindade

De repente você se encontra irritado com pessoas que você considera lentas de raciocínio e de atitudes. É como se você fosse um carro na estrada com capacidade para correr até 200 km/h, mas tivesse que acompanhar um outro carro que está correndo a 30 km/h. Pode ser também que você tenha tido insônias inexplicáveis; tenha tido muito suor nas mãos e na fronte; o coração tenha acelerado facilmente. A pressão arterial não baixa mais. Surge de repente um aperto no peito, sem explicação. Uma agonia. Um medo irracional. Uma tremedeira. Náuseas. Pode ser que nada te satisfaça no dia a dia. A vida tenha se tornado um tédio. Em casos mais graves até o cabelo começa a cair. Então, a solução é descontar na comida, para preencher um vazio físico e psicológico. O cigarro tenha surgido como um paliativo, assim como a bebida alcoólica e outros vícios. Pode ser ainda que para amenizar a sua dor você começa a se cortar com gilete, ou outro objeto cortante.

Se você se identificou com muitos dos sintomas acima... é possível que você esteja com o Transtorno de Ansiedade, ao nível médio, moderado ou grave. A princípio, a ansiedade é saudável.  Na vida precisamos de um certo nível de ansiedade. Sem ela seria pessoas lentas, entediadas, sem criatividade, passivas, preguiçosas. No entanto, ela se torna um transtorno quando afeta a nossa saúde mental e o nosso convívio social. A ansiedade tem sido considerada o mal do século. Só no Brasil, cerca de 9,3% da população sofre de algum transtorno de ansiedade, liderando o ranking das nações mais ansiosas do mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Transtorno da ansiedade Art: Ana Paula da Trindade

Ela pode ainda ser definida como: “excesso do amanhã e ausência do hoje”. Sentir-se ansioso causa um misto de emoções volúveis que, em casos frequentes, podem ser altamente danosas à nossa saúde. Geralmente é caracterizada por uma tensão ou desconforto derivado da antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho à nossa rotina. “A ansiedade se torna doentia quando assume sintomas psíquicos negativos contínuos e intensos, como irritabilidade, humor depressivo, angustia, baixo limiar para frustrações, fobias, preocupações crônicas, apreensão continua, obsessão, velocidade exacerbada dos pensamentos (Augusto Cury) ”. Augusto Cury, 2014, atribui as causas da ansiedade à vários fatores: estilo de vida, ambiente, relações sociais, fatores socioeconômicos, etc.

ANSIEDADE SOCIOPROFISSIONAL: excesso de trabalho, pressões, cobranças, metas inalcançáveis, ofensas, medo do futuro, crise politica, dificuldades financeiras, pressão nas provas escolares. Vivemos frequentemente em famílias ansiosas, empresas ansiosas, escolas ansiosas.

ANSIEDADE CAUSADA PELO ESTILO DE VIDA MODERNO: trabalho intelectual intenso, tempo prolongado diante da TV, excesso de informações (mas não de formação), excesso de preocupação, excesso do uso de smartphones e de internet, consumismo, necessidade neurótica de poder, de evidência social, de se preocupar com a estética. Atinge mais de 80% dos indivíduos de todas as idades, de alunos a professores, de intelectuais a iletrados, de médicos a pacientes.

Sem perceber, a sociedade moderna-consumista, rápida e estressante – alterou algo que deveria ser inviolável, o ritmo de construção de pensamentos, gerando consequências seríssimas para a saúde emocional, o prazer de viver, o desenvolvimento da inteligência, a criatividade e a sustentabilidade das relações sociais. Adoecemos coletivamente (CURY, 2014).

DICAS PARA AMENIZAR A ANSIEDADE:

Escreva seus pensamentos e sentimentos (crianças, jovens e adolescentes); faça uma coisa de cada vez; abandone a necessidade de controlar tudo; faça exercícios físicos; trabalhe a respiração; se concentre no presente; viaje para outro ambiente, interior... (quando possível); mudança de hábito em relação à comida e bebida; sintomas físicos: exercícios físicos/meditação; psicoterapia: procurando o profissional mais adequado para você; procurando ajuda médica; desenvolvendo a assertividade e delegando tarefas; habilidades sociais de amizade: retomando a vida social; descanso é diferente do lazer. Sugestão de leitura bíblica do maior psicólogo que já existiu, Jesus Cristo: (Mateus 6:24-33)

Pe. Aparecido Luiz de Souza, svd.

(93) 99128 3042