Pular para o conteúdo

A Comunidade Santo Antônio de Laguinho é Elevada a Paróquia

Igreja Santo Antônio de bairro Laguinho, Santarém

A Comunidade Santo Antônio de Laguinho, Santarém, que pertencia da Paróquia São Raimundo Nonato, foi desmembrada e elevada a paróquia, no dia 5 de junho de 2022, pelo Arcebispo Dom Irineu Roman. Padre Henrique Mendonça, SVD é o primeiro pároco desta nova paróquia.

A origem da comunidade

A comunidade do Laguinho surgiu nos anos finais da década de 1960. Na época, os Franciscanos administravam as atividades religiosas na área. Em meados de 1972, um espaço localizado na Avenida Tapajós, onde a comunidade passou a se reunir e realizar as celebrações. Em 1974, conseguiu-se um terreno na Travessa Luís Barbosa, entre a Avenida Tapajós e a Rua Vinte e Quatro de Outubro. Em janeiro de 1975, com a autorização da Prefeitura, iniciou-se a construção de um barracão em madeira e com cobertura de palha. No mesmo ano, iniciou os movimentos para a construção de um barracão mais estruturado. Por volta de 1990, a Área da Liberdade passou a ser administrada pelos Padres Diocesanos. Em 1991, a comunidade escolheu e adquiriu a imagem do seu padroeiro, Santo Antônio. Nesse período, a comunidade decidiu instalar uma secretaria em apoio às ações pastorais e celebrativas.

Até 1996, manteve-se a igreja com a estrutura de alvenaria, com paredes de tijolos vazados e cobertura de telha. Em 1998, fez-se uma ampliação na parte da frente, inserindo-se duas torres, com a intenção de ampliar a largura e a altura da igreja. E passou-se a investir na aquisição de recursos para a compra de dois terrenos laterais para garantir a ampliação da igreja e a const

Elevação
Padre Henrique Medonça tomando posse da nova paróquia com Bispo Dom Irineu Roma

rução de um salão comunitário. Até essa época, a comunidade ainda pertencia à Área Pastoral da Liberdade, elevada à condição de Quase Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Em 1999, a comunidade foi anexada à Paróquia São Raimundo Nonato, assumida pastoralmente pela Congregação dos Missionários do Verbo Divino (SVD).

A igreja nova e as ações pastorais e celebrativas

No dia 13 de junho de 2006 Bispo Auxiliar da Diocese de Santarém, Dom Severino Batista de França, abençoou a pedra fundamental da construção do novo igreja com sete torres e a nave interna com o presbitério (altar) para a lateral. Os últimos serviços de finalização do novo prédio ocorreram em 2019, com a colocação do forro interno e a climatização da igreja.

Ao longo dos últimos anos, avançou-se com a realização de atividades celebrativas e devocionais. Além das celebrações às quartas e aos domingos, introduziu-se, em 2016, o Terço Luminoso, na primeira sexta-feira de cada mês, às 19h; em 2019, após o Terço Luminoso, introduziu-se a Celebração Votiva ao Sagrado Coração de Jesus; e em 2021, introduziu-se a Adoração ao Santíssimo Sacramento, duas vezes ao mês, na sexta-feira, às 19h30.

Manoel Danilo Vasconcelos de Siqueira

Pe. Jaime Maria Gato, SVD

Padre Jaime Marcelo Maria Gato, nascido no dia 13 de dezembro de 1973, é um dos cinco filhos da dona Ivone Maria Gato e José Luiz Souza de Gato, da cidade Oriximiná. Os votos perpétuos e ordenação diaconato, foi no dia 25 de março de 2007, e ordenação no dia 6 de janeiro de 2008, na cidade de Oriximiná. Depois da ordenação se manifestou em trabalhar na Província Centro do Brasil (BRC) por quatorze anos. Inicialmente, trabalhou como Promotor Vocacional, nos anos 2007 a 2010. Foi pároco, na paróquia Nossa Senhora das Neves/ Santuário do Bom Jesus de Igual, entre os anos 2010 a 2017. O padre foi transferido para Paróquia Maria Auxiliadora dos Cristãos, cidade Jacareí, na Diocese de São José dos Campos, no ano 2018 e ficou até 2021. Durante os anos 2020 e 2021 se manifestou para voltar à sua Região Amazônica. Chegou na Região no mês de março de 2022. Foi destinado como pároco na Paróquia Santíssima Trindade, Rurópolis. O padre chegou na paróquia, no dia 25 de março. O versículo da Bíblia que o motiva “Não tenhas medo, encontraste graça junto de Deus” (Lc 1,30). A Região Amazônica (BRA) lhe dar boas-vindas e deseja boa missão ao Pe. Jaime Marcelo Maria Gato.

Igreja Santa Bárbara, Serra do Navio-Macapá

A paróquia Santa Bárbara tem sua sede em Serra do Navio e atende dois municípios da Perimetral Norte: Pedra Branca do Amapari e Serra do Navio. Apesar da matriz e sede oficial estarem na vila de Serra do Navio, a casa paroquial e a secretaria funcionam em Pedra Branca por ser a cidade mais importante e mais central para todas as comunidades. A paróquia também atende quatro comunidades que fazem parte do município de Porto Grande. Ao todo temos dezenove comunidades rurais e três urbanas. Pertencem ao município de Pedra Branca as aldeias indígenas dos WAIÃPI que se localizam no final da Perimetral Norte, parque do Tumucumaque. Não temos nenhum trabalho com os indígenas.

A paróquia localiza-se dentro de vários polos mineradores tendo uma empresa de exploração de ouro que é a locomotiva econômica do município e emprega um número significativo dos moradores de Pedra Branca, Serra do Navio e de vilas menores. Os empregados da empresa vivem nos centros urbanos e existe uma rede de transporte de ônibus que transporta os trabalhadores para a mina Tucano.

Existe outra empresa ligada à exploração de minério de ferro, mas que já fica no município de Porto Grande. Existem também alguns garimpos ilegais funcionando.

As comunidades têm capela e barracão comunitário, funcionam com ministros que celebram a liturgia da Palavra aos domingos, catequistas que levam avante a catequese, várias têm Santíssimo e ministros da eucaristia.

As comunidades são dispersas e se gasta muito combustível com a assistência religiosa já que não estão acostumadas a celebrações durante a semana. Só nos sábados e domingos. Assim, se torna inviável a visita de uma semana no interior para atender toda uma área de uma vez só.

Do lugar onde é a casa paroquial até aos extremos são setenta quilômetros na direção do Tumucumaque e sessenta e cinco quilômetros na direção de Porto Grande. No fim de semana existem várias celebrações nas vilas do interior e também na cidade de Pedra Branca e Vila de Serra do Navio.

Têm catequistas, ministros da Palavra, Ministros da Eucaristia, coordenadores, gente competente e dedicada, mas a quem falta mais formação permanente. Todos pedem mais formação, mas o problema são os custos e as poucas entradas para manter funcionando a paróquia. Combustível para as visitas e formação são as duas problemáticas que enfrentamos, por falta de verbas suficientes. No restante vamos levando com a graça de Deus e as luzes de Espírito Santo.

Pe. José Cortes, svd

Com o tema: São Raimundo Nonato ajudai-nos a viver o amor e unidade, a Paróquia São Raimundo Nonato celebrou seu padroeiro no período de 21 a 31 de agosto. Foram 10 dias de festa com celebrações e programação social com venda de iguarias e no ultimo dia sorteio da rifa.

Este ano devido a pandemia que ainda vivemos, não foi possível convidar comunidades de fora para celebrarem conosco, mas a festa contou com a participação de diversos padres da Congregação do Verbo Divino e o Clero Arquidiocesano.

Refletindo o amor e unidade buscamos este ano com essa festa viver o amor como serviço ao próximo e colocar em prática nossa fé. De agir como o Bom Samaritano cuidando de quem precisa, e sobretudo, respeitando e dialogando.

Encerramos a festa com a celebração no dia 31 de agosto – Dia de São Raimundo Nonato, e contamos com a presença de nossa Arcebispo Dom Irineu Roman, padres VERBITAS e também com o Sistema Arquidiocesano de Comunicação transmitiram a celebração de forma integrada Rádio Rural, TV Encontro e mídias sociais, fazendo que os fiéis que não puderam esta presentes se sentissem parte integrante da liturgia festiva.

Que São Raimundo Nonato interceda por você e toda sua família!

Thiago Vasconcelos

Coord. Da Pastoral Litúrgica